O trabalho de carteira assinada passou a ficar cada vez menos interessante para o brasileiro, devido a remuneração baixa e da carga horária exaustiva. Por essas e outras razões, o trabalho de autônomo cresceu bastante e o brasileiro está ficando indeciso entre as duas opções mencionados.

Afinal, o que é mais viável para a sua situação: trabalhar pela CLT ou como trabalhador autônomo? Descubra a seguir conferindo as vantagens para cada uma dessas opções:

CLT

FGTS

Vamos começar falando de quem trabalha com a carteira assinada. Pesar da reforma trabalhista e da grande dificuldade imposta pela complicação e perda de alguns direitos, a CLT ainda promove direitos bem importantes para o brasileiro. Um deles é o saque do depósito  proporcionado pelo FGTS 2020.

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço funciona como uma conta inacessível que pode ser liberado quando o funcionário é demitido sem apresentação de justa causa ou quando o Governo libera um determinado valor para movimentar a economia.

Abono Salarial

Um outro direito muito importante para o trabalhador é o saque do abono salarial pago através do Programa de Integração Social., o PIS. Para ter acesso ao recurso, o trabalhador precisa completar 5 anos após a primeira assinatura na carteira e ter trabalho, pelo menos 30 dias no último ano.

O valor do PIS é proporcional ao tempo de serviço e pode chegar a até um salário mínimo vigente dependendo das regras. Esse recurso é exclusivo do trabalhador formal, ou seja, que trabalha através da carteira assinada.

Autônomo

Taxas e descontos

Apesar do trabalhador autônomo ter menos acesso aos direitos trabalhistas, existe uma grande vantagem em relação a esse serviço que é a falta de aplicação de taxas e consequentemente, a impossibilidade de descontos proporcionados por esses serviços.

Assim, o que o trabalhador produz vem a receber menos descontos por intermédio de juros e taxas, isto dependendo de cada tipo de serviço. Por isso, muita gente tem preferido optar pela área a fim de controlar melhor o seu dinheiro,

Flexibilidade de horário

Como no serviço autônomo, o trabalhador não tem obrigatoriamente que cumprir com determinada carga horária diária da empresa, este tem mais facilidade para impor seus próprias horários assim como tem maior possibilidade de encaixar seus compromissos na agenda semanal.

Assim, pode-se dizer que o trabalhador autônomo faz o seu próprio, o que lhe permite também trabalhar em outros projetos, funções e até empregos, se lhe for interessante.

Trabalhar como CLT ou Autônomo? Conheça as vantagens para cada opção